Archive for the ‘Marketing’ Category

Telemartiquim

março 23, 2011


Os caras perseguem a gente. Todo dia é dia. Até Sábado. Daqui a pouco será Domingo também. Você está tranquilo em sua casa. O telefone toca. No outro lado da linha, está o cara, com o seu gerundismo, vendendo aquilo que não pedimos nem precisamos. Trata-se do maldito telemarketing. Se o consumidor fosse realmente soberano, mandava matar…

Simplesmente tenho a predisposição de dizer não para o sujeito. Mas o cara é insistente. Não aceita um não facilmente. Tenho que repetir que não estou interessado várias vezes. Uma forma de cortar a conversa rápido é dizer que está de saída. Outra forma é dizer que a pessoa com quem ele quer falar – você – está de viagem. “Quem é você, então?”, pergunta o abelhudo. “O amigo do Mário”, respondo, ansioso para que o sujeito pergunte quem é Mário…

Vale tudo para se safar dessa laia. Agora, a forma mais criativa de enganar esses caras foi feito por um sujeito lá fora. O vídeo abaixo mostra a gravação da pegadinha sofrida pelo operador de telemarketing. O diálogo é impagável. O operador de telemarketing liga e pergunta por um tal de Tom Mabe. O sujeito que atende (o Tom) finge que é um detetive que está na cena de crime, investigando a morte de…Tom Mabe. Aí começa um interrogatório por telefone. “Você conhece Tom Mabe ou é amigo dele?” Segue uma série de perguntas ao pobre do operador de telemarketing. Absolutamente hilário!

Pensando bem, isso é melhor que dizer que eu estou de viagem ou que sou amigo do Mário ou do Romeu. Vou tentar essa na próxima ligação que receber num Sábado desses. Vejam (melhor dizendo: ouçam) o vídeo da pegadinha de Tom Mabe aqui.

Trilha Sonora do Post

“Have You Ever Seen the Rain” de Rod Stewart:

Marcas que marcam

março 4, 2011

Qual é o maior ativo da Coca-Cola? Não são as suas plantas industriais espalhadas pelo mundo nem a sua fórmula secreta para o seu famoso refrigerante. É a sua inconfundível marca, rubro-branca e com as letras espiralizadas. Não vale menos que 44 bilhões de dólares.

Pessoas confiam na marca. Isso se justifica porque marcas representam comprometimento das empresas em manter o padrão de qualidade. Uma outra vantagem das marcas é que elas garantem indenização na certa, mesmo quando as empresas pisam na bola. Para evitar propaganda negativa e manter a boa imagem junto ao público consumidor, pagam polpudas indenizações para amenizar as consequências. Trata-se de uma espécie de seguro contra pisadas na bola.

Como a informação nos mercados pode ser assimétrica, a marca é uma solução para sinalizar boas intenções de mercado da empresa. Para construir uma marca, é gasto muito dinheiro e tempo, principalmente por meio de propaganda. Nenhuma empresa está disposta a jogar fora isso de uma hora para outra.

Falei tudo isso para chegar ao ponto que queria. O Greenpeace fez um vídeo sobre os produtos “Dove” da Unilever, uma marca bilionária. Para se produzir “Dove” se usa o óleo de palma extraído das florestas tropicais da Indonésia. Segundo o Greenpeace, isso é feito com desmatamento das florestas. Esse vídeo já foi visto por mais de 250 mil pessoas no mundo.

A Unilever saiu logo para se defender e tomar uma iniciativa que mereceu comemoração entre os ambientalistas: a empresa anunciou que apenas comprará óleo de palma dos fornecedores que comprovarem que não desmataram a floresta para fazer o óleo. É a força da marca e o esforço para não deslustrá-la. Deem uma olhada abaixo no vídeo do Greenpeace que levou a essa iniciativa da Unilever.